Imanishi

LASERLIPOLISE

Hidrolipo, Minilipo, Lipolight e LASERLIPOLISE

Muita gente me pergunta se eu faco hidrolipo, lipolight, minilipo, etc. Respondo sempre que sim, todos eles, pois sao termos muito difundidos. Mas a grande verdade é que a lipoaspiração é um procedimento único, que compreende as técnicas infiltrativa e não-infiltrativa, onde através de uma pressão negativa originada por um aparelho ou por seringas, a gordura é aspirada por cânulas introduzidas por pequenos cortes na pele.

Quero esclarecer que estes termos foram criados por medicos, nem sempre especialistas em cirurgia plástica, para justificar uma forma de realizar o procedimento dentro do consultório, muitas vezes sem nenhuma segurança e cuidados exigidos pelos órgãos de Vigilancia Sanitaria.

Mas quero falar sobre esta nova ferramenta no meu arsenal cirúrgico: A Laser Lipólise, ou Lipolaser.

1) Como o procedimento é realizado?

No caso da laserlipólise o laser será aplicado por dentro da pele, diretamente na gordura e na camada mais profunda da pele.

Sendo assim, será necessário anestesiar a área a ser aplicada e fazer uma pequena incisão (alguns milimetros) para que o laser possa ser aplicado.

O calor produzido pelo laser irá romper definitivamente as células de gordura (adipócitos). Além disso, ele será aplicado em um plano mais superficial, aquecendo a derme (camada profunda da pele), estimulando sua retração e diminuindo o risco de flacidez após a lipoaspiração.

A gordura "derretida" pela laserlipolise pode ser lá deixada (será absorvida) se for em pequena quantidade ou aspirada com uma fina canula (se for em maior quantidade).

Tecnicamente falando, o laser promove liquefação da gordura, coagulação dos vasos sanguineos (que produz menos hematomas) e desnaturação do colágeno da pele (que induz formação de colágeno novo).

2) Quem s?o os candidatos a este procedimento?

Praticamente qualquer pessoa com boa saúde e que possua uma ou mais áreas de acúmulo de tecido adiposo que teimam em não responder bem à dieta e exercícios físicos, pode se candidatar à lipolaser. Vale lembrar que, como na lipoaspiração tradicional, não é um método de emagrecimento; necessitando que o paciente esteja pelo menos próximo do seu peso ideal.

3) Quais as vantagens deste procedimento em relação a lipoaspiração tradicional?

Na lipoaspiração tradicional, dependendo da localização e do volume de gordura retirada, é possível ter como consequência flacidez de pele. O lipolaser oferece um efeito adicional de retração e melhora da qualidade da pele por estímulo da produção e contração do colágeno. Previne e trata alguns graus de flacidez além de poder ser utilizado no tratamento de celulite com resultados muito interessantes. Por isso, seu uso é considerado ideal para determinadas regiões como na face(ex: queixo duplo), pescoço, braços, parte interna da coxa, joelhos, culote, aquela gordurinha das costas que fica na altura do sutian, ginecomastia e praticamente qualquer área de pele frouxa e flácida. Não há necessidade de utilizá-lo na maioria das áreas corporais com pele mais grossa e com boa elasticidade.

A idéia é uma lipoaspiração menos agressiva que a tradicional, utilizando cânulas bem finas (1 a 3mm) inseridas por incisões mínimas. Há um menor trauma tecidual com menor lesão de outras estruturas, levando assim a um menor tempo de recuperaç?o. Na extremidade da cânula está posicionado o laser que possui efeito térmico “derretendo” as células de gordura e promovendo a coagulação dos vasos sanguíneos que são proporcionalmente menos lesados. O resultado é uma menor perda sanguínea e menor equimoses.

4) Quais as desvantagens deste procedimento em relação a lipoaspiração tradicional?

O tempo de aplicação é maior pois é um procedimento mais meticuloso. A gordura retirada pelo laser é uma gordura um pouco "derretida", logo não serve para lipoescultura (procedimento muito comum hoje. Retira-se onde esta sobrando e injeta-se onde esta faltando). Quando há intenção de realizar lipoescultura, a gordura a ser reaproveitada deve ser aspirada antes da aplicação do laser.

Outra desvantagem é o custo maior, devido ao custo de aquisição e manutenção do aparelho.

5) Que tipo de anestesia será utilizada?

O tipo de anestesia dependerá da extensão da área a ser tratada. Ex: gordura do submento (papada) e braços podem ser tratados com anestesia local. Abdome e costas já representa uma área mais extensa, sendo necessário outro tipo de anestesia (anestesia geral, bloqueios como raquianestesia ou peridural). Os culotes (gordura na lateral do quadril) também podem ser tratados com anestesia local, desde que o volume seja pequeno.

5) Quais áreas do corpo são as mais beneficiadas por este tratamento?

Duas áreas do corpo tem resultados muito superiores ao tratamento convencional: PAPADA (submento) e BRAÇOS. O acúmulo de gordura nestas regiões, associado a uma tendencia a flacidez impõem algumas dificuldades ao tratamento convencional. A mais comum delas é a flacidez após a retirada da gordura. O laser, induzindo uma retração da pele maior que a lipoaspiração tradicional, traria mais firmeza a região.

Obviamente existe uma limitação para esta retração. Logo, casos com intensa flacidez de pele não serão beneficiados por este procedimento isoladamente (será necessário a cirurgia para retirada da pele flácida).

Outra ótima indicação para este tratamento é a lipoaspiração de áreas que ja foram aspiradas anteriormente e que podem apresentar irregularidades (comuns com as lipoaspirações mais antigas pois o diametro das canulas era grande. Comuns também em quem ganhou muito peso após as lipoaspirações). Geralmente áreas já aspiradas anos antes ficam mais "duras" dificultando o trabalho do cirurgião e, as vezes, comprometem o resultado. A aplicação prévia do laser nestas áreas torna o trabalho mais suave, amenizando irregularidades e consequentemente produzindo melhores resultados.

4) Quais os riscos do procedimento?

Assim como qualquer procedimento invasivo (este não deixa de ser invasivo), existem riscos. Houve muitos relatos de queimaduras de pele induzidas pelo laser nos trabalhos iniciais (tratava-se de procedimento muito novo). Uso do laser em potencias altas demais foram as causas mais comuns. Esse seria o efeito colateral mais temido relacionado ao procedimento (aliás, qualquer tipo de laser, inclusive aqueles aplicados fora da pele).

Outros riscos são inerentes a qualquer procedimento de retirada de gorduras como: irregularidades visíveis na pele, fibroses (cicatrizes internas) e complicações relacionadas a cicatrização.

Ainda não há estudos conclusivos a respeito, porém estima-se que o risco seja similar a qualquer outro procedimento de lipoaspiração.

8) Quanto tempo demora para o resultado ser visível?

Para avaliação do resultado espera-se no mínimo 3 meses. Antes disso, ainda há inchaço e a avaliação pode ser prejudicada. Há casos que podem demorar até um pouco mais para desinchar (até 6 meses).

10) É verdade que pode ser aplicado na hiperidrose axilar? (Transpiração excessiva).

SIM. Quem transpira muito na axila tem agora mais um recurso, além do uso do Botox e da cirurgia de simpatectomia. O laser pode ser aplicado na pele da axila, com anestesia local. Ele "queima" as glandulas que produzem suor excessivo.

Trata-se de uma cirurgia de porte pequeno, com recuperação rápida. Os trabalhos científicos até o momento apontam para resultados duradouros e, em alguns casos, permanentes. Acreditamos ainda ser cedo para afirmar que seja permanente.

11) Pode-se considerar que este procedimento irá substituir a lipoaspiração tradicional?

Não. A Laserlipólise veio para auxiliar a lipoaspiração clássica. Seria um requinte, um complemento. Pode-se considerar um auxilio ao tratamento convencional. Veio somar, sem intenção de substituir o tratamento convencional.

LASERLIPOLISE
LASERLIPOLISE